A Águas de Manaus e a Prefeitura de Manaus entregam, nesta segunda feira, o Parque da Juventude do conjunto Rio Xingu, na Avenida Brasil, na zona Oeste da cidade. A obra foi viabilizada por compensação ambiental firmada entre a empresa e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e é parte integrante das obras da Estação de Coleta e Tratamento de Esgoto (ETE) com duas elevatórias de bombeamento, dois mil metros de redes coletoras e moderno processo de tratamento com vazão de 86 metros cúbicos por hora com capacidade para tratar aproximadamente 27 litros por segundos (27L/s). A revitalização da área protegida era uma reivindicação dos moradores do conjunto e vai beneficiar os bairros próximos.

A Águas de Manaus investiu mais de R$ 400 mil reais na revitalização do parque com uma academia a céu aberto equipada com aparelhos de ginástica, uma quadra de areia, paisagismo, iluminação de LED e outros benefícios à comunidade, como a construção de guarita, muros e reforma de uma igreja. A proposta é reintegrar a população ao meio ambiente, recuperando áreas verdes antes degradadas, por meio de compensações ambientais.

O parque e a estação estão localizados entre a Rua Cecília Cabral e a Avenida Brasil, na Compensa, numa área de 50.726 metros quadrados, das quais 1.210 metros de área construída. No local houve um reforço de reflorestamento com o plantio de 25 mudas de árvores, das espécies Pau-pretinho e Pata-de-vaca, e 600 ornamentais, entre Iresine e Trapoeiraba.

Para o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, a proteção ambiental “é um belíssimo exemplo de que gestão sustentável não precisa de grandes investimentos. Os Parques da Juventude foram viabilizados por compensações ambientais, ou seja, a iniciativa privada nos paga os valores correspondentes a multas ambientais em ações que recuperam espaços verdes em várias zonas da capital”.

Atualmente, a Águas de Manaus atua em outras frentes de trabalho, na zona Sul da capital com reforma da ETE Educandos e revitalização do sistema do Atílio Andreazza. Outras 15 ETEs de pequeno porte, instaladas pela cidade, também estão sendo reformadas e serão entregues à população no decorrer do segundo semestre deste ano.

Segundo o diretor–presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis, o parque vai integrar a população ao meio ambiente e cita a estação de tratamento de esgoto, em fase final de conclusão, na área do parque como exemplo de conscientização e da necessidade da preservação dos recursos naturais.

“A população precisa compreender que a proteção e a preservação do meio ambiente estão integradas ao esgotamento sanitário da cidade. Isso é sinônimo de saúde pública. Por isso todo o nosso esforço para entregar até o final do ano a Estação de Tratamento de Esgoto Ayapuá-Xingu na área do Parque Ambiental e da construção de redes coletoras. O tratamento de esgoto disponível necessita de utilização integral. Isso compreende um esforço coletivo e institucional para promover a consciência da utilização desses serviços”, define o presidente da Águas de Manaus, enfatizando que isso certamente vai garantir melhor qualidade de vida à população.