A concessionária Águas de Manaus inaugurou o novo reservatório de água tratada da Colônia Santo Antônio, na zona Norte, nesta quinta-feira (14). Localizado na esquina das ruas do Sorriso com Rafael Siqueira, o novo reservatório possui capacidade para armazenar 7,5 milhões de litros de água e vai reforçar o sistema de abastecimento na região, que atualmente já conta com um reservatório de 5 milhões de litros.

 

Cerca de 75 mil pessoas que moram nos bairros Colônia Santo Antônio, José Bonifácio, Monte Sinai, Vale do Sinai, Manoa, Terra Nova I e II, Novo Israel I e II, Loteamento América do Sul, Loteamento Canaã, Celebridade, Jesus Me Deu e Condomínio Alegro serão beneficiados com a nova unidade. O reservatório possui 15 metros de altura, 25 metros de diâmetro e começou a ser construído no fim do ano passado.

 

O novo reservatório traz mais uma série de melhorias para a região. Além de ampliar a reserva de água tratada na zona Norte, a obra vai ajudar a reduzir as oscilações na pressão de água nos bairros abastecidos pelo sistema Colônia Santo Antônio, além de facilitar a implantação de expansões de redes na área.

 

Se os 7,5 milhões de litros de água do novo reservatório da Colônia Santo Antônio fossem colocados em caixas d’água de 500 litros (modelo comum em residências da cidade), 15 mil caixas poderiam ser abastecidas com o volume de água tratada da nova unidade. “Essa é mais uma inauguração de um conjunto de obras desde que a empresa assumiu a concessão do serviço, no ano passado. Aumentamos a reservação de água em 30% e estamos trabalhando na expansão da rede de abastecimento de água e na implantação do sistema de esgotamento sanitário”, disse o diretor-presidente da Águas de Manaus, Renato Medicis. “Hoje não há reclamação quanto à qualidade de água na cidade, é uma água de excelência”, afirmou.

 

 

NOVOS RESERVATÓRIOS EM 2019- Ao longo do ano, a Águas de Manaus entregou cinco novos reservatórios na cidade, localizados nos bairros Jorge Teixeira, Compensa, Cidade Nova, Cidade de Deus e Colônia Santo Antônio.  As novas unidades aumentam em 30 milhões de litros a capacidade de armazenamento de água na capital. Com isso, a capacidade de reserva é suficiente para abastecer 98% da população que já conta com redes de distribuição e expansões necessárias. A ampliação já estima o crescimento da população nos próximos anos. Os cinco novos reservatórios foram um dos principais projetos voltados para a melhoria no abastecimento de água neste ano.

 

As novas unidades beneficiam, no total, uma população superior a 500 mil pessoas na capital. As obras também integram o Plano Diretor de Água, que contempla todas as intervenções necessárias no setor.

Novo reservatório beneficiará 75 mil pessoas na Zona Norte de Manaus

 

Além dos cinco novos reservatórios construídos neste ano, a concessionária administra outras 182 unidades de reservação. A água é distribuída por uma rede que conta com 3.800 quilômetros de extensão e 20 quilômetros de adutoras. Essa estrutura atende 98% da cidade. Durante o ano, uma série de melhorias nestas redes e adutoras também foram realizadas pela Águas de Manaus. “Estamos fazendo uma série de ações para melhorar o abastecimento, como a implantação de extensões de rede e a troca de bombas. Estamos a favor da população para promover melhorias no abastecimento de água, no esgotamento sanitário e aperfeiçoar a qualidade dos nossos serviços em Manaus”, afirmou o diretor-executivo da Águas de Manaus, Luiz Couto.

 

Presente na inauguração do novo reservatório da Colônia Santo Antônio, o Prefeito Arthur Neto, voltou a lembrar do compromisso em dotar a cidade de 80% de esgotamento sanitário até 2030. “A gente pensa em melhorar o abastecimento, mas pensa também em gerar excedentes. O problema de água está resolvido? Está, mas não para sempre. Será para sempre se continuarmos investindo, construindo mais reservatório, para que sirvam de reserva, gerando excedente para que nunca mais se tenha aquele fantasma da falta de água. E onde não dá para chegar com a rede de distribuição, a gente entra com poços para garantir o abastecimento de água enquanto a rede é preparada. Agora, a gente tem que pensar nesse crescimento vegetativo da cidade. Isso nos coloca no patamar de cidade que melhor cuida da habitação, do saneamento, da saúde financeira, da previdência e que cuida com amor de uma cidade que merece o nosso amor. É o nosso caso”, ressaltou.